3 livros para ler no verão

28/07/2022
Montagem com fundo branco e duas fotos de livros abertos em fundos com grama verde.

Dias ensolarados, cheiro de protetor solar, pele salgada, barulho de mar. O pé na areia enquanto o corpo derrete – e as tensões também. Se você adora o verão, deve aproveitar cada uma dessas sensações e sentir saudade a partir do primeiro segundo em que as folhas caem no quintal.

Com suas paixões de férias, universos por descobrir e refrescos aquáticos – sejam mares agitados ou lagos de calmaria -, o verão também é fonte de inspiração para a literatura. Seja como plano de fundo ou parte essencial do lifestyle dos protagonistas, aqui vão 3 livros para ler no verão – ou para matar a saudade da estação mais quente do ano a qualquer momento.

Leitura de verão, de Emily Henry

Foto de um dos 3 livros para ler no verão. A areia com uma canga preta com bege, um boné vermelho com um bordado branco escrito Make Lula President Again e um livro chamado Romance de Verão, com capa amarela e um homem e uma mulher lendo em suas cangas, em lados opostos da capa.
Curiosidade: em português de Portugal o título é Romance de verão

Começando pelo livro do momento, Leitura de Verão. Seja no TikTok ou na lista de bestsellers do New York Times, o bonito vem conquistando uma fanbase apaixonada, que compartilha trechos e reações sem moderação. O que o livro tem de especial? Um ponto de partida interessante – sobretudo para quem ama ler – e o melhor dos clichês de romance. Sim, é fácil saber como tudo vai acabar, mas o caminho é uma delicinha e faz a gente se apaixonar junto com a protagonista, que é quem vai narrar o livro.

aqui pode aparecer um anúncio! 👇 carregando...

Vamos à sinopse ou resumo de Leitura de Verão? January é uma escritora de romances que acredita em finais felizes, pelo menos até perder o chão ao descobrir que sua versão açucarada da vida não era assim tão real. Já Augustus é um escritor de ficção cult e indiferente, um pouco mal-humorado e cheio de traumas do passado. Os dois foram rivais na universidade e se tornam vizinhos ao acaso em Michigan.

Depois de muita implicância, os protagonistas fazem uma aposta: trocar de gênero literário um com o outro e ver quem é publicado primeiro. Para que consigam entender o universo um do outro, passam a ter saídas de campo juntos. January acompanha Gus em entrevistas densas sobre um culto suicida que acaba em chamas para o seu próximo livro, enquanto Gus vai passar por vários workshops românticos. Com essa proximidade, os dois evoluem em seus bloqueios criativos e também no caminho para solucionar seus problemas. E, claro, descobrem que possuem mais em comum do que imaginavam.

Arte com fundo branco e um trecho de um dos 3 livros para ler no verão, do livro Romance de Verão. "Quando amamos alguém... - disse ele de forma hesitante - queremos fazer este mundo parecer diferente para essa pessoa. Dar um sentido a todas as coisas más e ampliar as boas. Isso é o que você faz. Pelos leitores. Por mim. Escreve coisas bonitas, porque adora o mundo e, talvez o mundo nem sempre seja como é nos seus livros, mas... Acho que ao escrever dessa forma, você muda um pouco o mundo. E o mundo não pode se dar ao luxo de perder isso."

Ainda que os protagonistas não passem assim tanto tempo na praia, os meses de verão são o prazo final para ambos vencerem o bloqueio criativo e entregarem os seus novos livros. Além disso, as descrições de January da vista de seu terraço vão trazendo esse clima para a leitura.

aqui pode aparecer um anúncio! 👇 carregando...

Como o próprio nome sugere, Leitura de verão é ótimo para perder a noção do tempo deitada na rede, na canga até o sol se pôr ou forjando calor embaixo das cobertas, caso esse post chegue em você em tempois mais gelados.

Primeiro eu tive que morrer, de Lorena Portela

Foto de um dos 3 livros para ler no verão. Um livro de capa branca com o título Primeiro eu tive que morrer, de Lorena Portela está no centro da foto, segurado por uma mão. Ao fundo, está o mar e areia.

Uma publicitária à beira de um burnout é pressionada a fazer uma pausa para descansar e se recuperar. Escolhe Jericoacoara, no Ceará, para tentar se reencontrar e se sentir algo além de máquina ao se conectar com a natureza e com uma vida mais simples. Primeiro eu tive que morrer é o romance de estreia de Lorena Portela e é uma dessas belezuras em cada página, um mergulho em um milhão de sensações, que entrega algumas das passagens sobre praia mais bonitas que eu já li.

Arte com fundo branco e um trecho de um dos 3 livros para ler no verão, do livro Primeiro eu tive que morrer "O vento entre as dunas era forte, quente e os grãos de areia batiam sem piedade em minha pele [...] Fiquei parada, olhando aquela imensidão cor de areia, cujas formas mudavam de acordo com a vontade do vento. Tanto as dunas quanto as lagoas existiam aqui e ali por uma vontade imperativa da natureza. Do vento, forte o suficiente para mudar as dunas de lugar; e da chuva, ,generosa, formando as lagoas. Era tudo de uma beleza comovente."

Talvez Primeiro eu tive que morrer seja o meu livro preferido sobre o verão e tive um momento bem especial com ele, indo pela primeira vez encontrar a areia depois de mais de um ano trancada em casa. Essas sensações todas de reencontro, com o mar e consigo mesma, arrebatam. E Lorena tem um jeito tão poético de descrever o banal e o extraordinário, em uma história com a qual é fácil de se indentificar – e mais fácil ainda é devorar cada página.

Arte com fundo branco e um trecho de um dos 3 livros para ler no verão, do livro Primeiro eu tive que morrer. "A lagoa era densa, como geralmente é, porque a água doce é diferente da água salgada, que ajuda a flutuar. Eu sentia o meu corpo na água de uma forma tão inteira, que parecia que a minha alma havia se deslocado e eu era só matéria. "Poderia até ser lagoa encantada mesmo", pensei, com meu corpo feito 60% de água, fundido em seu próprio elemento. Pairando. Fora da água, me percebi fisicamente sensível a cada toque das gotas, como se eu pudesse acompanhar o caminho que a água fazia no meu corpo. Não só uma gota, mas todas elas."

Além das suas lindas passagens sobre os encontros com a natureza e uma rotina de férias deliciosamente bucólicas, o livro vai além, falando sobre trabalho, vazio, amor e sobre o peso excessivo de ser mulher no mundo, carregando malas infindáveis de culpas que não nos cabem, mas não nos abandonam a não ser que as expulsemos. Também fala da beleza e de como tudo é melhor quando estamos juntas, nos cuidando, amando e criando redes de apoio. Caso não tenha ficado claro, recomendo muito!!!

Malibu Renasce, de Taylor Jenkins Reid

Foto de um fundo azul jeans com um livro no colo. A capa é uma foto de praia com céu rosa e o título Malibu Renasce.

Uma festa repleta de celebridades, rumores e momentos icônicos que a transformaram em um dos momentos mais esperados do ano em Malibu. Quatro irmãos que, apesar de uma base familiar caótica, seguiram unidos e têm suas vidas diretamente conectadas ao mar e ao surf. Traumas e sentimentos do passado vindo à tona, tortas de climão se formando no plano de fundo e um incêndio gigantesco. Tudo em uma noite. É isso que Malibu Renasce vai contar.

Arte com fundo branco e um trecho de um dos 3 livros para ler no verão, do livro Malibu Renasce. "Malibu pega fogo. É simplesmente o que Malibu faz de tempos em tempos. O incêndio de Malibu de 1983 não começou nos morros áridos, mas na costa. Teve início no numero 28150 da Cliffside Drive em um sábado, 27 de agosto - na casa de Nina Riva -, durante uma das festas mais famosas da história de Los Angeles. Às sete da manhã, a faixa litorânea de Malibu estava dominada pelas chamas. Porque, assim como queimar faz parte da natureza de Malibu, provocar um incêndio e ir embora era parte da natureza de uma certa pessoa."

Vale destacar que eu AMO as propostas nada óbvias da Taylor e o quanto ela mergulha no universo dos seus livros – um bom exemplo disso é Daisy Jones and The Six, livro que é contado inteiro em formato de entrevista com a banda protagonista e traz composições de Taylor para todas as músicas que a banda fictícia escreveu (eu já escrevi sobre ele aqui).

Em Malibu Renasce, a autora narra cada hora do dia em que a festa vai acontecer, intercalando com capítulos sobre o passado dos irmãos e seus pais. Esse formato é uma ótima escolha, já que nos conduz pelas mil mini tretas prestes a explodir, criando um clima de tensão que nos faz perder a noção do tempo, rir e chorar.

Duas curiosidades que talvez sejam do seu interesse: 1) Malibu Renasce vai virar uma série adaptada pelo Hulu, com Liz Tigelaar, produtora de Little Fires Everywhere, assumindo a produção executiva. 2) A autora Taylor Jenkins Reid vem, de forma discreta e divertida, criando seu ‘taylorverso’. O pai dos protagonistas de Malibu Renasce, Mick Riva, é o terceiro marido de Evelyn Hugo (outro livro da autora) e também está presente em uma festa na casa da Daisy Jones. Eu AMO esse universo.

É isso, espero que você tenha gostado do post e que os três livros sejam ótimas leituras por aí? Se gostar, me conta por aqui ou lá no Instagram!

Você também pode gostar:

Loading...Loading...Loading...Loading...