Os melhores livros de Taylor Jenkins Reid

Montagem com duas fotos dispostas em duplas. Na primeira, um chão de parquet está com plantas e suculentas em vasinhos. No canto da foto, está um livro com capa rosa e coqueiros, segurados por uma mão. Ao fundo, está um vestido nos mesmos tons do livro com estampas florais. Foto 2, à direita: o livro Daisy Jones & the six está em um fundo de madeira, ao lado de um prato verde claro com quatro pães de queijo.

Nos últimos anos, Taylor Jenkins Reid se tornou a queridinha do mundo literário. Seus livros são febre no TikTok e pelo menos três deles vão virar séries e filmes no próximo ano. O motivo? A autora tem uma habilidade incrível mergulhar em diferentes universos e criar histórias deliciosas de devorar.

Das quadras frenéticas de tênis até um livro inteiro em formato de entrevista, com uma banda fictícia que acabou em seu auge e se reencontra anos depois, abrir as páginas de Taylor é nunca saber bem o que esperar. Mas sair contente, levemente obcecada e na espera de seu próximo lançamento. Sabe autora que parece amar tanto os livros quanto a gente? Pois é. Sou fã convicta e, com o objetivo de trazer você pra esse mundinho também, montei um ranking com os melhores livros de Taylor Jenkins Red.

6. Depois do sim

Foto com o livro Depois do Sim, classificado como o sexto melhor livro de Taylor Jenkins Reid por este blog. O livro está no centro da imagem e, além do título, tem o desenho de um carro preto com a clássica placa de recém casados e latinhas amarradas atrás.

Lauren e Ryan estão juntos há mais de 11 anos. Mas o amor que antes os preenchia se transformou em brigas constantes, cansaço e um implicando com o outro nas mais pequenas coisas. Os dois decidem tirar um ano de folga do casamento na esperança que, assim, reencontrem uma maneira de se apaixonar um pelo outro. É esse o ponto de partida de Depois do sim, que vai acompanhar os desdobramentos desse um ano separados.

Bora tomar um cházinho? 🫖

Depois do sim é contado a partir da perspectiva de Lauren e gosto muito dessa premissa. Ao tentar se reencontrar, ela vai se conectar com a família, ter novas primeiras vezes, aprender a ficar sozinha e aproveitar a sua própria companhia. Um livro bonitinho, fácil de ler e fluído, pra se enrolar nas cobertas ou em uma rede na sombra e perder a noção das horas.

5. Amor(es) verdadeiro(s)

Foto com o livro Amor(es) Verdadeiro(s), classificado como o quinto melhor livro de Taylor Jenkins Reid por este blog. O livro está no centro da imagem e, sua capa possui uma piscina com duas boias distantes uma da outra .Em uma delas, está um homem. Na outra, uma mulher deitada com os braços abertos e roupa de banho branca.

O tema de uma escolha que muda tudo ou duas possibilidades de uma mesma vida é um tema que parece agradar muito a autora e esteve presente em pelo menos dois de seus livros: Em outra vida talvez?, obra que eu particularmente achei bem fraca e nem vou me demorar avaliando, e Amor(es) Verdadeiro(s), essa sim, uma forma mais interessante de explorar o tema.

Amor(es) Verdadeiro(s) conta a história de Emma, que casa com seu namorado do colégio, Jesse, e vive uma vida repleta de aventuras. Porém, no primeiro aniversário de casamento deles, o helicóptero de Jesse desaparece e, sem nada para se despedir, ela perde o marido. Sua vida muda absurdamente, ela volta para a cidade pequena dos pais, assume sua livraria e vive a vida pacata da qual sempre sonhou em fugir. O tempo passa, ela se apaixona por outra pessoa até que, do mais completo nada, descobre que Jesse estava vivo e voltou para ela.

aqui pode aparecer um anúncio! 👇 carregando...

Emma embarca em uma jornada para entender quem é o seu amor verdadeiro e esse caminho é super bonito. Chorei, sorri, torci pelo meu favorito e li em cada pausa na rotina. Indico demais! Inclusive, Amor(es) Verdadeiro(s) vai virar filme e já tem seu triângulo de protagonistas confirmado: Emma será interpretada por Philipa Soo (Hamilton), Jesse por Luke Bracey (Amor com Data Marcada) e Sam por Simu Liu (Shang-Chi).

4. Carry Soto está de volta

Foto com o livro Carrie Soto está de volta, classificado como o quarto melhor livro de Taylor Jenkis Reid por este blog. O livro em versão Kindle está no centro da imagem, mas ao fundo é possível ver. cores fortes e uma mão com unhas pretas o segurando. A capa do livro conta com seu título e uma quadra de tênis, com uma mulher com cabelos presos em um rabo de cavalo e traje branco de tenista com uma raquete ao alto, após jogar a bola de tênis.

Mais recente lançamento da autora, Carrie Soto está de volta nos leva para o mundo do tênis para acompanhar o retorno de uma aclamada tenista para as quadras. E para falar desse livro, eu preciso explicar uma coisa: Taylor tem um segmento de livros sobre pessoas fictícias famosas (as suas melhores criações, na minha singela opinião). Carrie é uma delas e aparece pela primeira vem em Malibu Renasce – livro que falaremos mais para a frente.

O tênis foi a vida inteira de Carrie, que jogava desde pequena com seu pai – um tenista exímio e ex-atleta que passa a treinar a filha. Depois de muitos anos dedicados e mais de 20 títulos Grand Slams, um recorde, Carrie se aposenta. Apenas alguns anos depois, Nicki Chan está prestes a bater seu recorde, o que faz com que Carrie volte a jogar, aos 37 anos, para defender o seu legado e todas as críticas da imprensa sobre ser uma “vaca”.

Apesar de não entender absolutamente nada de tênis, Carrie Soto está de volta me envolveu por inteira. Seja ao falar de etarismo, machismo no esporte e na imprensa, superação e os danos de uma busca incansável pela perfeição e sucesso, sem tirar o tempo necessário para se divertir, o livro é uma leitura gostosa e cheia de afeto. A relação de Carrie com o pai é outro ponto de destaque do livro, que incita a gente a aproveitar a jornada e perceber que nunca é cedo ou tarde pra fazer o que queremos.

E se você, assim como eu, ama ver referências de outros livros, a partir daqui vai se deliciar: vários personagens de Malibu Renasce são mencionados no livro, assim como a “biografia” Daisy Jones and The Six é uma das leituras de Carrie.

3. Daisy Jones and The Six

Foto com o livro Daisy Jones & The Six, classificado como o terceiro melhor livro de Taylor Jenkins Reid por este blog. O livro está no centro da imagem e ao fundo estão algumas malas coloridas e um aeroporto desfocado ao fundo. A capa conta com o título e a foto colorida em tons de amarelo, roxo e vermelho de uma mulher com cabelos longos e franja.

Daisy Jones & The Six é a maior banda de rock dos anos 70, com milhares de discos vendidos e turnês esgotadas. Porém, no seu auge, a banda decide acabar, após apenas um icônico disco, sem dar nenhuma explicação ao público. Décadas depois, uma jornalista decide desenterrar essa história e entender os motivos para esse fim. Escrito inteiro em formato de entrevista, Daisy Jones & The Six é uma delícia de ler e vai te prender do início ao fim.

Do começo da carreira solo de Daisy Jones e da banda The Six até como eles começam a trabalhar juntos, a gravação de seu disco juntos – repleto de letras que transmitem a tensão sexual entre os protagonistas, a luta contra o vício e vários outros dramas que rondavam os bastidores – e o sucesso esmagador, o livro faz a gente se apaixonar pela trama e, claro, por Daisy.

São muitas as coincidências com a história caótica da banda Fleetwood Mac, que também acabou em seu auge, com uma série de romances, brigas e letras que transmitem tudo isso. A própria Taylor conta que essa foi uma de suas inspirações para criar o livro, o que deixa tudo mais interessante. Além do formato de entrevista, no fim do livro a gente encontra todas as letras “compostas por Daisy e Billi”. É muito, muito legal e só mostra o quanto a autora se envolve com os universos que cria.

Daisy Jones & The Six vai virar série da Amazon e as gravações foram concluídas em maio deste ano. Ainda não existem informações de quando ela vai ser lançada, mas não vou negar que checo toda semana kkk.

2. Malibu Renasce

Foto com o livroMalibu Renasce,  classificado como o segundo melhor livro de Taylor Jenkins Reid por este blog. O livro está no centro da imagem e, além do título, tem uma capa rosada coma s paisagens de Malibu, coqueiros, morros e uma praia.

Todos os anos, os irmãos Riva dão uma festa para marcar o fim do verão. Esses eventos se tornaram lendários, com celebridades e histórias a serem contadas por anos no futuro. Sabe aquela noite em que tudo acontece? Pois é. Em 1983, a festa dos quatro irmãos acaba em um incêndio.

A história dessa noite específica, hora por hora do dia da festa, é o que conta Malibu Renasce. Essa é uma ótima escolha, porque, no decorrer do dia, a gente vai entendendo todas as tensões entre os personagens então, quando a festa começa, a gente já sabe que o prato principal vai ser treta e a sobremesa uma boa torta de climão.

No meio tempo, outros capítulos contam a história da família, como os pais se apaixonaram, quem é Mick Riva, o pai famoso e ausente, que aparece em vários outros livros de Taylor, além da conexão dos irmãos com o surf e Malibu. Existem trechos bem emocionantes aqui, que contrastam perfeitamente com a farofa que vai virando essa festa. Amo, amo, amo.

Malibu Renasce teve seus direitos comprados para uma adaptação em formato de série pelo Hulo, mas não temos o casting nem previsão de gravação até o momento.

1. Os sete maridos de Evelyn Hugo

Foto com o livro Os sete maridos de Evelyn Hugo, classificado como o melhor livro de Taylor Jenkins Reid por este blog. A capa está em destaque total e mostra uma mulher com cabelos presos sem mostrar o rosto. Ela veste um vestido inteiro de lantejoulas e um colar longo de pérolas.

Os sete maridos de Evelyn Hugo foi minha primeira leitura da autora e não tinha forma melhor de começar. Amei tanto que fiquei em busca das outras obras traduzidas e, a partir daí, virei essa entusiasta do mundinho Jenkers pra sempre kkk.

O livro conta a história de Evelyn, uma lendária atriz de Hollywood, desde suas primeiras tentativas de alcançar a fama, até finalmente conseguir e o que acontece depois disso. Porém, por mais que Evelyn tenha uma carreira de sucesso, indicações ao Oscar e um arsenal de filmes, precisa falar sempre sobre o mesmo assunto: o quanto ama casar e as polêmicas de sua vida pessoal.

Em meio a tudo isso e querendo, finalmente, dar a sua versão sem filtros da história, Evelyn contrata uma jornalista pouco conhecida para escrever a sua biografia. O livro então se divide entre as relações dela com a jornalista e as narrações de sua vida, divididas entre os maridos de Evelyn. São vários os temas aqui, a jornada feminina tão mais difícil, a invisibilização bissexual, a saudade, envelhecer sendo mulher, sobretudo em uma carreira em que as aparências são tudo…

É inevitável se apaixonar pela força da protagonista , se irritar com algumas atitudes ou ideias que soam ultrapassadas e querer ouvir mais, mais, mais. Acabei o livro com um quentinho no coração de conhecer uma mulher incrível e cheia de sutilezas, dores e resistências.

Bom, é isso! Esses são os melhores livros de Taylor Jenkins Reid para essa que vos escreve. Concorda? Ficou com vontade de ler algum em específico? Me conta que eu vou amar saber!

aqui pode aparecer um anúncio! 👇 carregando...

E, aproveitando o mood de dicas de leitura, fica a dica de assinar a minha newsletter, que todo mês chegam dicas de coisas para assistir fresquinhas na sua caixa de entrada <3

Lifestyle