What we know

Abril 27, 2013 12:47 am

7173071429_ef40724668_cNão adianta desviar o olhar, e nem ouse tentar me desconversar, nós nos conhecemos muito bem para essas brincadeirinhas. Aliás, nos conhecermos tão bem sempre foi razão para você se orgulhar e se sentir tranquila. Fala pra mim, você se apaixonou de novo, não se apaixonou? Sua idiota. Eu sabia! Pelo menos me diz que não foi por aquele seu típico padrão de garoto errado, que surge do nada com olhos claros e um sorrisinho todo fofo de criança. Foi? Porra, cara!

A gente estava indo tão bem, tentando, no meio de toda essa correria, achar paz e você vai lá e estraga tudo? Pelo menos ele vale à pena? Brincadeirinha. Te conheço, lembra? Com isso, já sei que provavelmente não, que nesse exato momento deve estar vivendo a vidinha dele sem nem perder tempo pensando na gente. E sabe de quem é a culpa? A culpa é dessa sua mente de escritora, que vê beleza e fofurisse em tudo, até no cara atravessando a velhinha no sinal. Ok, foi bonitinho mesmo. Isso não faz com que eu te perdoe, só pra avisar. Se pelo menos você criar uma daquelas histórias de encontros e desencontros, que fica muito mais bonita no papel do que na nossa vida, ainda posso pensar no seu caso. Não está conseguindo, né?

No fundo, o que mais te incomoda é pensar que ele podia dar uma boa história, mas que o tempo foi curto demais para saber direito o que realmente era ele e o que nós projetamos. É estranho não ser a culpada, não é? Nós sempre soubemos, que quando tudo dava errado, a culpa era nossa, magoamos muita gente com esse nosso jeito de não querer se comprometer demais. Provavelmente continuaríamos assim, ele não nos faria mudar, mas, sem dúvidas, não reclamaríamos de tardes de sol, em uma grama qualquer, falando de livros, de nada, de tudo, da gente e da nossa incapacidade de recitar poemas.

Sempre gostamos tanto de pessoas imprevisíveis, que chegam sem pedir nada e de repente já estão aqui. E lá. E aqui de novo. Recebemos exatamente o que queríamos, então por que você está fazendo drama? Parou drama! E essa inquietude de ficar esperando por alguma coisa que não chega também. Levanta, pega o nosso vestido preferido, passa batom vermelho. Não esquece do nosso salto mais alto e nem vem pensar que ele ficaria menor que a gente. Hoje você sai de mãos dadas comigo
e se ele aparecer por aí, que seja.

Texto: Marcie



Categoria: