Se jogar na vida

dezembro 31, 2012 8:17 pm

548929_431350296929295_172157132_n

‘Adeus ano velho, feliz ano novo’. É, definitivamente chegou o dia de se despedir de mais um ano, de parar e refletir em tudo que conquistamos, no que foi bom, não que nem tanto, não sei porque o fim de ano nos deixa tão nostálgicos, retrospectivos e, de certa forma, ansiosos, prometendo e projetando mil coisas para realizar nesses novos 365 dias. Então, quem sabe ao invés de perder tempo e papel com planos mirabolantes (e quase sempre esquecidos no dia 2) não escrevemos apenas uma frase: ‘Me jogar na vida’.

 Não entrem em pânico, se jogar na vida nada mais é do que se abrir para o mundo, deixar as pessoas, sentimentos, lugares e experiências entrarem sem ficar com o pé atrás o tempo inteiro. Conhecer novas pessoas, mudar hábitos, começar a fazer um curso de culinária, ou de dança, ou de qualquer outra coisa só por você, ler bons livros, dançar na chuva (ao invés de fugir dela), fazer a tão sonhada tatuagem, ir ao show da sua banda preferida (mesmo que tenha que passar o resto do mês sem poder gastar um centavo), se apaixonar por mil pessoas e coisas, rir até não aguentar mais, sair sem rumo, se emocionar com um céu estrelado, viajar, passar uma semana em sua própria companhia, ser feliz!

Parece um jeito ‘romântico’ demais de ver as coisas, nem tudo é do jeito que nós queremos, além do mais temos responsabilidades, precisamos ter uma rotina, estudar, ganhar dinheiro. Sim, é claro que precisamos, mas quantas vezes deixamos de lado as coisas que realmente queríamos fazer por preguiça, ou medo de não funcionar e ficamos em casa assistindo TV? Nós somos as pessoas mais responsáveis (e beneficiadas) com nossa felicidade e esse é o tipo de coisa que, com essa nova promessa, não poderíamos deixar pra trás.

É arriscado, mas como praticante dessa ‘filosofia’ durante todo 2012, devo dizer que funciona, se teve uma coisa que fui durante esses últimos meses é feliz, com coisas pequenas, festas, pessoas boas, projetos feitos por nenhuma outra razão além de serem o que eu queria fazer, deixando de ficar de pijama em casa porque estava frio e indo me jogar no que a vida queria me oferecer. E devo dizer, a sensação de ‘dever cumprido’ é encantadora.

Então nesse ano que começa mais hoje do que amanhã, joguem a preguiça e até mesmo alguns preceitos que lhe seguram e abram os braços – e os olhos – para tudo aquilo que a vida, as pessoas e, principalmente, você mesmo têm a oferecer. Diga mais sim do que não, mas, por favor, não fique no talvez, emocione se deixe emocionar… Sorria… Agora pegue uma caneta, mesmo que com pouca tinta, afinal você só tem uma frase mesmo pra escrever.

 

Texto: Marcie



Categoria: