Singin’ In The Rain

Março 14, 2012 1:11 pm

Está um dia chuvoso lá fora, automaticamente nosso ânimo já dá uma baixada, colocamos nossos sapatos ‘impermeáveis’, nosso guarda chuva e saímos. É raro ver um sorriso quando está chovendo, nos textos e poemas a chuva é algo ruim, pelo qual precisamos passar, até que o sol saia. Hoje enquanto chovia – E MUITO – comecei a observar as pessoas que passavam por mim, indo para escola, trabalho ou qualquer outro lugar e percebi tantas coisas…

Há muita gente lá fora, cada um com uma vida, história, problemas, mas a maneira como encaram as coisas é que diz como são, hoje vi pessoas olhando bravas para o céu, como se dissessem: ‘Falta mais alguma coisa acontecer comigo?’, outras eram silenciosas e se retinham encolhidas em seus guarda chuvas como se qualquer gota d’água fosse inimiga, outras pareciam achar ser só mais uma chuva pela qual teriam que passar – e era – eu é que ando feliz demais, ligada nas coisas simples e corriqueiras.

Na verdade sempre fui meio ‘romântica’, de olhar pro céu estrelado e ficar sorrindo como uma idiota… mas vamos voltar à chuva, vi gente solidária, dividindo um guarda-chuva minúsculo, mal educada, que por estar protegida em um carro passava jorrando água, terra e qualquer coisa nos pedestres, um garoto, com um sorriso lindo, parando onde nem precisava só pra me deixar passar… enquanto isso eu ia passando por todos sorrindo, agradecendo ao céu pela chuva gelada e pulando em poças onde todos evitavam passar. Se considerarmos o que eu disse no início do texto sobre como reagimos à chuva ter a ver com o jeito como levamos nossa vida o que isso quer dizer sobre mim? E sobre vocês?

Sinceramente, eu não gostaria de conviver com o bruto do carro, que por ter uma proteção, não se importa com quem já está na rua, se molhando, mas sim com o sorridente que interrompeu o seu caminho pra deixar alguém passar. E não sou eu que penso isso, todos queremos pessoas que sabem receber – RECEBER, não se acomodar com qualquer coisa – o que a vida lhes dá e tirar o melhor disso. É algo que só depende de nós, das escolhas que vamos fazer e de como vamos reagir ao que não podemos controlar e até ao que podemos. Então que sejamos aqueles que se jogam nas poças, que sorriem para o céu (mesmo que cinzento), que se emocionam com música e com o simples fato de estar vivo.

Como aquele simples e repetido ditado sempre diz, a vida é muito curta. Então pegue seu guarda chuva, agora, e vá comemorar o dia se jogando no que a vida tem a oferecer.

Texto: Marcie



Categoria: