Estranhos

agosto 8, 2012 10:27 pm

Não, esse não é um texto de amor, muito menos de recomeço, é texto de final, daqueles confusos, que só servem pra quem viveu determinada história e que certamente não seria um recordista de bilheterias, mas não é por isso que deveria ser deixado de lado.

Por mais clichê que possa parecer, eu sempre acreditei que determinados amigos eram quase anjos, que te davam carinho nos momentos difíceis, compravam chocolate e convidavam pra sair numa tarde de sol, sabiam qual sua música preferida e aquelas que você detesta, sabem seus medos, seus rolos, te levam pra casa em segurança no meio da madrugada só pra terem certeza que você está bem… você era um desses anjos e aí, sem motivo inicial aparente, as coisas desandaram e desandaram feio.

Você confundiu, mudou, brigou, perseguiu e se transformou em uma pessoa que eu não conhecia, como a gente pode achar que conhece uma pessoa tão bem e quase que ao mesmo tempo descobrir que não sabia de nada? Hoje te desconheço e sinceramente, não tenho tanta vontade de re-conhecer (se é que essa palavra existe).  Sem dúvidas, não estamos na mesma página e por mais que tenhamos bons momentos, os ruins não podem (e provavelmente não vão) ser deixados pra trás.

Sei que isso é uma droga, não queria te culpar por nada, mas minha consciência está tranquila e, sinto muito, mas não há nada que eu possa fazer para mudar ou voltar a me sentir confortável com isso tudo, fingir não é uma opção e não merecemos isso. Espero que fique bem, cresça, encontre pessoas que se preocupem e te façam sorrir, mas devo dizer que suas asas foram retiradas, esse ‘anjo’ já não voa mais, pelo menos por aqui.

Texto: Marcie


Categoria: