Peças para ficar elegante que mudaram o meu closet

Montagem com fundo branco e duas fotos. No topo à esquerda, uma mancha laranja decora. Já no topo superior esquerdo, bem próximo à imagem, uma linha rosa assimétrica. O texto "closet + chic e funcional" está à direta, na parte de baixo. A primeira foto é de Marcie, de lado, escorada em um muro cinza. O muro tem grama e folhas verdes e o céu está bem azul. Marcie veste um vestido preto justo, meia calça preta fio 80, bota preta envernizada e casaco de pelos azul marinho. Na segunda foto, Marcie posa de lado em frente em uma parede branca com quadro na parede. Marcie veste camisa branca de manga longa arremangada até o cotovelo, cinto preto na cintura e bermuda ciclista preta com sandália de tiras finas preta.

Na metade de 2018, encarei o closet sem saber o que vestir. Essa cena banal, que muitas vezes é apenas causada pelo estímulo constante de comprar mais, passou a ser recorrente, seja para o exercício diário do office look ou para a festinha no final de semana. Resolvi descer tudo que tinha no armário para o chão do quarto e me desesperei ao perceber que não era uma simples vontade de look novo, passível de ser resolvida com uma passadinha na fast fashion mais próxima. O problema era mais grave: as peças que chamava de minha – e muito já tinham rendido combinações – não tinham mais NA-DA a ver com o meu estilo. 

A verdade é que a minha vida havia mudado muito nos últimos quatro anos. Vivia em outra cidade, com outro estilo de vida, tinha acesso a muito mais informação e colecionava inúmeras novas referências. Aqueles shortinhos jeans e vestidos rodados, que costumavam ir da faculdade pro estágio e do estágio pro barzinho com perfeição, já não combinavam com a mulher que eu estava me tornando. Com o tempo, passei a amar outras partes do meu corpo e querer usar as silhuetas que a “moda” ditava como “proibidas” pra mim. Foi uma transformação intensa e feroz. Enquanto isso, por fora eu seguia a mesma, com peças que não comportavam essa minha versão “2.0”. 

Montagem com fundo branco e com duas duplas de fotos sobrepostas uma a outra. Na foto 1 da primeira dupla, à esquerda, Marcie veste um short jeans cinza, camisa bordô e coturno preto, em frente a uma parede branca descascada. Na foto 2, está posando em frente a uma parede de concreto com calça pantalona preta de cintura alta, cropped listrado de gola alta e jaqueta jeans cropped. Na foto 1 da segunda dupla, Marcie posa em frente a um portão verde de grade com short jeans azul escuro e camisa xadrez azul sem mangas oversized. Na foto 2, posa em frente uma parede preta e usa calça de alfaiataria vermelha, mule verde com  pompom azul e camisa amarela poá com gola laço.
Um breve antes e depois que já mostra um pouquinho da minha evolução

Tempos depois, percebi que estava passando pela mudança do closet “adolescente” para o “adulto”, momento mais do que natural que acontece com praticamente todo mundo. Já recebi muito direct no Instagram sobre o tema e essa semana mesmo falava com uma amiga que está passando por isso, ou seja, se esse é o seu caso, você não está sozinha. Mas pode precisar de ajuda. É justamente para isso que reuni 4 peças essenciais na minha transição que podem auxiliar muito na sua, deixando os looks mais elegantes, confortáveis e, claro, maduros. Antes de começar, é importante ressaltar que essas não são regras ou uma lista para ser seguida à risca, ok? Selecione o que funciona pra você e, se ficar com dúvida, nos vemos nos comentários.

aqui pode aparecer um anúncio! 👇 carregando...

Calça de alfaiataria

Montagem com fundo branco e três fotos. Abaixo da primeira foto, à esquerda, um traço assimétrico rosé decora a montagem. Já na terceira foto, na parte de baixo, um círculo bordô decora a montagem. Na primeira foto, à esquerda, Marcie posa em frente de um espelho, sofá rosé, cortina rosa e parede branca. O look é uma camisa branca e uma calça de alfaiataria de lã cinza de cintura alta e no shape pantalona. Na segunda foto, no meio, Marcie posa em frente a uma parede branca, um parquet de madeira e ao lado direito de uma luminária alta rosé. O look é composto por uma camisa de manga curta bufante e gola laço rosé, calça de alfaiataria vermelha reta com barra curta e sandália de tiras finas dourada. Na terceira foto, Marcie posa em frente a uma parede preta com chão de pedra cinza. O look é composto por cropped preto de alças finas, calça clochard de lã cinza com cinto preto na cintura e sandália de tiras finas preta.

Uma verdadeira deusa da versatilidade, da praticidade, do conforto, capaz de deixar até aquela camiseta furada bem mais estilosa. Sou suspeita porque não vivo sem, mas a calça de alfaiataria é uma aliada para usar do verão ao inverno, da balada à reunião importante de trabalho. Foi justamente essa a primeira aquisição do meu “novo armário” e, depois dela, me tornei uma fã de carteirinha. Na hora de fazer o seu primeiro investimento, a dica é escolher uma cor que seja versátil para você – e isso pode ir muito além do pretinho básico. De todas as calças que eu tenho, essa vermelha da foto do meio é a que mais uso, sem sombra de dúvidas – tem até post sobre ela no blog.

E se as cores são muitas, o mesmo vale para as possibilidades de modelagens. Eu geralmente opto por calças soltinhas, com a cintura mais alta e barra curta, mas as pantalonas e clochards também são apostas certeiras. Ama estampa? Pode se jogar nas listras, poás e animal prints.

Camisa de qualidade

Montagem com fundo branco e três fotos. Acima da primeira foto, à esquerda, três bolas amarelas decoram. Já na terceira foto, na parte de baixo, um traço assimétrico laranja decora. Na primeira foto, Marcie posa em frente a uma parede branca com a mão na cintura. O look é composto por uma camisa branca com manga longa arremangada até o cotovelo e saia de babados preto mídi e sandália de tiras finas preta. Na foto do meio, Marcie posa de lado em frente a uma parede branca, ao lado esquerdo de uma luminária rosé alta. O look é composto por um vestido longo branco, camisa branca amarrada na cintura e com magas longas arremangadas até o cotovelo, bolsa de palha vintage com alça de miçangas e mule branca com salto de madeira. Na terceira foto, Marcie posa escorada em uma parede cinza com vidro branco. O look é composto por camisa azul, jeans skinny preto com a barra dobrada, bota preta e cinto western preto com duas fivelas.

Todo guia de moda, dos clássicos aos contemporâneos, sempre indica uma camisa de qualidade e, desde que tenho a minha branca com tecido estruturado, entendo exatamente o motivo. Oversized ou sequinha, a peça é cool de essência, principalmente com as mangas dobradas ou lapela para cima, e deixa a gente mais poderosa de forma imediata.

aqui pode aparecer um anúncio! 👇 carregando...

Além da forma tradicional de vestir, você pode usar a sua amarrada por cima de vestidos e macacões, aberta com lingerie de renda/tule à mostra, com blusa de gola alta por baixo, com croppeds ou suéteres. Enfim, forma de combinar é o que não falta, assim, deixe-se surpreender. Ah! Embora a branca seja um curinga universal, o modelo azul também é impecável.

Vestido minimalista

Montagem com fundo branco e três fotos. Abaixo da primeira foto, à esquerda, um traço assimétrico amarelo decora a montagem. Já na terceira foto, na parte de baixo, um círculo laranja decora a montagem. Na primeira foto, à esquerda, Marcie posa escorada em uma parede preta lisa. O look é composto por vestido tubo mídi meia manga e decote u profundo, bota envernizada preta e chapéu verde. Na segunda foto, Marcie posa de lado em frente a uma parede branca com quadros. O look é composto por um vestido branco com alça fininha e fenda na parte de trás, tênis branco com cadarço largo enrolado no tornozelo. Na terceira foto, Marcie posa em frente a uma mesa de madeira com pés de ferro e um grande vaso de cerâmica com flores. O look é composto por um vestido curto preto, um colete alongado branco de alfaiataria e tênis esportivo de knit preto e branco.

Existem dias em que, mesmo com o closet renovado, acordamos sem criatividade. Em outros, precisamos estar em 5 eventos diferentes. Há ainda os em que queremos nos sentir maravilhosas para nós mesmas. Sabe quem combina com todos esses moods? O vestido minimalista. Eu sou bem suspeita para falar, já que esse modelo branco é usado dois dias seguidos de tanto que amo e o pretinho da primeira foto foi tão desfilado por aí que está todo puído. 

Básico, neutro, com um tecido confortável e um corte que abrace o corpo: essas são as características do vestido ideal. Ele pode ser reto, solto ou justo. Pode ter fenda, ser mídi, longo ou curto. Com alça fininha ou manga longa. O que importa é que você se sinta linda usando-o da forma mais despreocupada possível e, ao mesmo tempo, fique à vontade para incrementá-lo com os mais diversos acessórios e complementos. 

Cardigan oversized

Montagem com fundo branco e três fotos. Acima da primeira foto, à esquerda, três bolas bordôs decoram. Já na terceira foto, na parte de baixo, um traço assimétrico rosa claro decora.  Na primeira foto, à esquerda, Marcie posa em frente ao espelho com moldura de madeira de corpo inteiro. O look é composto por camisa azul, skinny preta jeans, cinto western com fivela dupla preto e máxi cardigan cinza quentinho. Na foto do meio, Marcie posa em frente ao espelho do elevador, segurando o celular com uma mão e um livro com a outra. O look é composto por camisa branca, blusa de gola alta listrada usada por baixo da camisa, calça de alfaiataria de cintura alta de lã cinza e cardigan máxi com manga longa de lã cinza. Na terceira foto, Marcie posa em frente de um piano ao lado do estilista Ronaldo Fraga. O look é composto por calça de alfaiataria cinza de barra curta, scarpin animal print snake, cropped preto e cardigan máxi de tricô cinza.
Essa terceira fotinho, fingindo costume ao lado do Ronaldo Fraga, seria porque eu não tinha outra imagem com o casaco pra completar a trinca ou simplesmente uma exibição gratuita da nossa amizade sincera por um dia? Você decide!

Eu não sei exatamente qual é a referência, mas peças amplas e fluidas sempre me passaram uma ideia imediata de elegância. Talvez seja porque a pessoa está tão comfy que se sente pronta pra dominar o mundo – o que de fato é verdade. O que aprendemos aqui? Que perceber o que o seu olhar preza e julga como belo/sofisticado/estiloso é um ponto fundamental e isso nada precisa ter a ver com o senso comum. Se pegássemos as fórmulas engessadas, é bem possível que um blazer fosse substituir o meu cardigan oversized de tricô na categoria casaco chic. Pois eu tive dois blazeres, justamente acreditando nessa ideia de itens tem-que-ter, usei pouquíssimo cada um deles e acabei vendendo em brechó. Não precisa responder agora qual é esse item nada óbvio que você ama e ele não precisa ser uma peça que a sua it girl preferida usa. Só tire um tempinho pra se conhecer melhor.

Montagem com fundo branco e duas fotos. Centralizado na parte inferior, está o texto "Hora de mudar?" em tom de laranja. Na primeira foto, à esquerda,  Marcie posa em frente a uma parede branca, escorada em um nicho de madeira. Ela veste calça vermelha de alfaiataria, bota com estampa de zebra, camisa azul com suéter amarelo por cima. Na segunda foto, ela se fotografa em um espelho de corpo inteiro com moldura marrom. O look é composto por chapéu com cabelo preso, camisa branca, jaqueta de couro, skinny jeans preta e bota de zebra.

Um ponto importante para quem vai embarcar nessa: não precisa se desesperar ou criar uma fatura gigante no cartão de crédito. Eu fui montando esse closet aos poucos, respeitando o meu orçamento bem limitado de quem mora sozinha. A chave do sucesso é ser estratégica e comprar os itens mais versáteis e que estão fazendo falta primeiro. Por exemplo, os shortinhos jeans eram as peças que eu mais tinha e menos queria usar. Assim, comprei duas calças de alfaiataria e segui usando as camisetinhas e blusas teen que eu já tinha por um bom tempo.

Curtiu as dicas? Então boa sorte na hora de aplicar e arrase nos looks novos. E se quiser compartilhar comigo, eu vou amar ver a sua transição <3

Você também pode gostar: